Dos lugares: Greenwich

Londres é uma cidade imensa e tem muito o que se fazer. Quando somos turista aqui é comum nos atermos aos roteiros tradicionais, até porque isso já é suficiente para preencher vários dias e acabamos deixando de lado lugares incríveis por serem um pouco mais longe.

E Greenwich é desses lugares que podemos acabar deixando passar. A princípio, ao olhar o mapa pensa-se que é longe e/ou difícil chegar, mas isso é besteira. Com o transporte londrino funcionando com a perfeição britânica, qualquer lugar é fácil. Saindo de Westminster Station basta pegar a Jubilee Line até a estação Canary Wharf e trocar para o DLR (Docklands Light Railway, que é como um veículo leve sobre trilhos que roda na região das docas) até Cutty Sark Station. Esse percurso dura em torno de 30 minutos.  

Em Cutty Sark há o navio de mesmo nome construído em 1869 que trazia chá da Índia para a Inglaterra que foi restaurado e transformado em um museu. Mesmo se você não entrar no museu, que custa £ 13,50, já vale a visita observar toda a estrutura por fora e a parte que é visível por dentro da loja de suveniers.  

Cutty Sark

Nesse ponto há também o Greenwich Foot Path, um túnel construído em 1902 que passa por debaixo do Thames. É incrível descer e andar em uma estrutura como essa, que resiste há mais de 100 anos, ouvindo o eco dos músicos de rua se tiver essa sorte, sentar do outro lado do rio e ver o sol refletindo no Thames. 

Foot Path Greenwich

Seguindo pelo bairro, em direção ao Greenwich Park há o National Maritime Museum, que é bem legal e interativo. 

O Painted Hall é o antigo hall do hospital naval e é a maior pintura decorativa do Reino Unido. É tão lindo e cheio de detalhes que dá para gastar um tempo só observando cada um das pinturas. 

Painted Hall

Continuando a subir entramos de fato no Greenwich Park. Ele é imenso e lindo. Só por ele já valeria a visita, pois é o tipo de lugar perfeito para ficar horas caminhando ou fazer um pic nic de final de tarde, mas a grande atração é o observatório que tem no coração do parque. É lá que fica a Flamsteed House, com seu mais que especial marcador de hora. 

No topo dessa casa há uma bola vermelha presa a um mastro e que todos os dias desde que começou a funcionar em 1833 começa a subir às 12h55, chega à meio mastro às 12h58 e às 13h alcança o topo. Todo esse ritual servia para informar as horas para os marinheiros no Thames e para os moradores de Londres e hoje continua por pura tradição.

É nessa casa também que fica o marco do Meridiano de Greenwich que divid o globo em Ocidente e Oriente. Infelizmente, enquanto quase tudo em Londres é gratuito, o Observatório custa £ 9,50. Como eu já estava contando moedas para poder comer, não era um dinheiro que eu poderia gastar. Mas já entrou para a lista do que fazer na minha próxima visita à cidade. 

Atrás do Observatório fica o Planetário, que possui uma exposição gratuita enquanto a entrada de fato é paga também. Vi somente a exposição gratuita e achei incrível. São painéis interativos que responde várias perguntas interessantes sobre a vida, o universo e tudo o mais e a resposta nem se reduz à 42.  

No fim, fui para Greenwich sem muitas expectativas e fiquei extremamente surpresa. É como uma cidade do interior dentro de Londres, com casas e ruas lindas, diversas opções culturais, charmosos pubs e restaurantes e um parque lindo que proporciona uma vista linda dessa surpreendente cidade que é Londres…   


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s