Dos lugares : West Kirby

Daí resolvi sair de Londres e vir passar um tempo em Liverpool ver o que acontece.

Cheguei à noite e fui extremamente bem recebida por todo o staff. Em menos de duas horas uma das meninas me convidou para ir em um passeio no dia seguinte. 

Onde? Eu não sabia. Como? Eu não sabia. Mas vamos que sou do “vamos”. 

Saímos do Hostel por volta das 10h30 e seguimos em direção à estação de trem. Compramos um ticket válido pelo dia inteiro que era hop on/hop off (embarca e desembarca quantas vezes quiser) sentido Chester. 

E onde estávamos indo? 

West Kirby é uma cidade do outro lado do River Mersey, há uns 30 minutos de Liverpool. Pelo pouco que vi da cidade ela é toda bonitinha e aconchegante. A grande atração é que quando a maré baixa forma um lago separado da baia por um caminho construído no meio do mar.  

Chegamos com a maré alta sem saber que hora que baixaria e ao perguntarmos teríamos que esperar mais umas 3 horas. Resolvemos andar pela orla até uma cidade próxima e depois voltarmos de trem para vermos o caminho. 

O que não esperávamos é após somente uma hora e meia, depois de atravessarmos um campo de golfe e almoçarmos, vimos que a maré tinha começado a baixar e que já podíamos caminhar um bom pedaço. 

Como deve ser uma aventura digna desse nome, entramos mar à dentro buscando caminhos menos alagados, fugindo dos rios que a água formava e invariavelmente nos molhando até as canelas para ir em duas ilhas que é possível chegar andando. 

  
   
 
E quando chegamos a sensação foi ótima. Andar até o meio do mar, com as montanhas do País de Gales ao fundo… 

Caminhamos até a segunda e maior ilha e resolvemos voltar depois de pouco tempo, pois não sabíamos que horas a maré poderia subir novamente e não estava nos planos ficar ilhadas. 

  
Ao nos reaproximarmo-nos da vila pudemos, finalmente, entender o que era o tal caminho no lago. Quando a maré baixa um caminho circular aparece e a água retida no meio forma um interessante e curioso lago.  

E ver o sol cair entre o lago e o mar em uma passagem onde crianças, cachorros e esportistas curtiam o final da tarde foi um ótimo começo para essa nova etapa.

  

Custos principais:

Trem Liverpool/West Kirby – £ 5

Anúncios

Dos lugares: Edimburgo

O Reino Unido como um todo me interessa. Vir para cá é um desejo antigo e não se resume à Londres.

Mas pela falta de tempo e dinheiro, fiquei os mais de três meses que estou aqui somente em Londres. Até o mês passado, quando decidi ir para uns dos lugares que mais me instiga: Edimburgo.

Saí de Londres em uma segunda à noite e em mais ou menos 1h20 de vôo aterrissamos em Edimburgo. Claro que não tínhamos pensado exatamente como fazer para chegar até o Hostel, mas salvando nossa vida, na saída do aeroporto tem um ônibus 24h que leva direto ao centro da cidade.

Fiquei em um Hostel da rede St. Christopher Inn. que fica muito bem localizado e o ponto final desde ônibus é somente uns 3 minutos do Hostel.

Já na chegada, ainda de noite, pude ver que a cidade seria incrível com uma linda lua cheia no céu iluminando o enorme Scott Monument.

Dia seguinte resolvemos fazer o Free Walking Tour da Sandman’s. O bom de fazer esse tipo de tour é pela quantidade de informações e curiosidades históricas que de outra forma passaria batido, como o fato da que nenhuma das Catedrais de Edimburgo são de fatos catedrais, pois a igreja na Escócia não possui a hierarquia regular. Não há bispos ou cardeais. Ainda sobre as igrejas, apesar de haver muitas delas, algumas foram “reutilizadas”. Somente na região da Royal Mile duas foram transformadas em espaços coletivos de compras.


O tour segue pela Royal Mile , passa pela St. Giles Cathedral, Writers Museum, Grassmarket e termina em Greyfriars Kirk.

Dura em média 2h30 e vale muito o passeio.

O único problema é que não estávamos nem um pouco preparadas para o frio que fazia. Quer dizer, estou há mais de 3 meses em UK, sei que é frio, mas não como em Edimburgo. O vento parece que entra em cada espaço descoberto e gela até a alma.


Enfim, feito o tour, agasalhadas apropriadamente, vamos curtir a noite.

Fomos no Finnegans Wake, um pub com música ao vivo bem bacana, mas como é comum no Reino Unido, fechava às 1h. Estávamos levemente leves e queríamos continuar.

Ponto de comparação importante: quando se paga em libra, tudo é caro, mas em Edimburgo os preços são muito mais baratos que em Londres. Um pint em Londres: £ 5,40, em Edimburgo £ 3,50. A garrafa de vinho no pub em Edimburgo £ 6,50, em Londres esse pode ser o preço de uma taça.

Fomos para um outro bar que estava vazio e chato. Saímos andando e sem querer encontramos o Jazz Bar, que ao inquerir (com toda a delicadeza, é claro) ao segurança se estava bom e com pessoas e a resposta ser afirmativa pagamos os £ 3 da entrada e fomos ver qual que era. Como o próprio nome diz, bar de jazz com ótima música ao vivo, gente bonita e clima delicioso.

Finda a noite a volta para o Hostel foi uma aventura por si só. Mais do que levemente leves, frio, garoa e andando por uma infindável quantidade de micro-vielas idênticas que não tínhamos ideia de onde levavam. Com a ajuda do Google Maps e um bocado de sorte, chegamos sãs, salvas e congeladas ao Hostel depois de nos perdermos só um pouquinho.

Dia seguinte, apesar da leve ressaca, cumprimos o roteiro planejado de irmos até o Edinburgh Castle em um extremo da Royal Mile e cruzá-la inteira para chegar ao Holyrood Palace. E como frio tinha dado uma amainada, a caminhada foi muito mais tranquila que no dia anterior.

Também como comparação, quase tudo em Londres é de graça, seus parques, museus. Em Edimburgo, quase tudo é pago.

O Edinburgh Castle custa £ 16,50 e o Holyrood Palace custa £ 12 para entrar. Como esses valores, infelizmente, não cabiam no nosso apertado orçamento, conhecemos ambos somente por fora.



Seguimos para o Writer’s Museum (este sim de graça) que homenageia três dos maiores escritores escoceses: Robert Burns, Sir Walter Scott e Robert Louis Stevenson.

Stevenson é, provavelmente, o mais famoso entre eles e autor dos clássicos “Ilha do Tesouro”:

“Quinze homens na arca do morto,

Aiou-ou-ou é uma garrafa de rum

Aos outros levou-os a bebida e o Diabo,

Aiou-ou-ou é uma garrafa de rum.”

E “Strange Case of Dr. Jekyll and Mr. Hyde”, traduzido como “O Médico e o Monstro” no Brasil. Esse livro é um clássico que influenciou gerações e também muitos outros artistas (vide a música Docteur Jekyll et Monsier Hyde do Serge Gainsbourg). Neste livro, Stevenson discute a relação de bondade e maldade existente em cada um de nós como faces da mesma moeda.

“O estudo a que dediquei minha vida, me fez concluir que o homem é duplo. Ele traz em si, ao mesmo tempo, o gosto de fazer o bem e o prazer de fazer o mal.”

E é interessante saber que essa história foi inspirada em Deacon Brodie, um marceneiro de Edimburgo que de dia era um respeitável profissional e, para sustentar seus vícios em bebidas e jogos, roubava casas à noite. Na cidade há um pub que leva o seu nome e não custa muito tomar um pint fazendo um brinde à dualidade humana.


De noite fizemos o tour City of Death. Se você espera histórias de terror e sustos na escuridão, não é bem isso que vai encontrar. Quer dizer, é isso, mas não por causa de lendas urbanas e estórias para assustar as crianças. O tour, na verdade, nos conta a história do terror que os homens causam uns aos outros, que os donos do poder causam aos pobres e miseráveis. Caminhamos por catacumbas onde homens, mulheres e crianças foram confinadas e abandonadas à morte. Passamos pela prisão e cemitério onde pessoas eram torturadas e mortas pelo simples fato de discordarem das regras impostas pela Igreja. Então, se você souber passar por todo o teatro e ouvir com atenção, vai ver que não há fantasma no mundo mais assustador que o homem.


Enfim, passei dois dias completos em Edimburgo e pude conhecer bastante coisa na cidade, mas sem dúvida ficaria ainda mais uns 4 dias para poder me perder nas vielas e entrar nas histórias.

Ps.: Para quem é fã de Harry Potter essa linda cidade é um prato cheio, já que muitas coisas nela serviram de inspiração para J. K. Rowling escrever a história d’O Menino que Sobreviveu.

           A escola que inspirou Hogwarts

 McGonagall

 A Câmara Secreta

Ps2.: Custos principais

Vôo Londres-Edimburgo (return) – £ 36

EasyBus Return (Victoria-Stanted) – £ 12

Hostel (3 noites) – £ 27

Bus Aeroporto-Centro – £ 7

Free Tour – £ 5 (o tour é Free, mas pede-se que contribua com o guia lhe dando uma gorjeta proporcional à qualidade. Queríamos dar uma gorjeta enorme, pois a guia era incrível, mas £ 5 foi o máximo que pudemos nos comprometer)

Tour City of Death £ 11