Dos lugares: Stonehenge e Salisbury

Entre os meus lugares de sonho de conhecer sempre esteve Stonehenge, que nada mais é que um círculo de pedras no sudoeste da Inglaterra construído há mais de 3.000 anos A. C.. Ninguém sabe exatamente quem o construiu, como e qual sua exata finalidade.

Há muitas lendas sobre isso e por muito tempo acreditou-se que fora construído pelos celtas e seus druidas, porém Stonehenge data de mais de 1.000 anos antes dos druidas aparecerem por aquelas terras, mesmo que eles tenham posteriormente feito uso deste local dito sagrado. 

Há ainda os que ao olharem para essas pedras se perguntam “Eram os deuses astronautas?” e colocam Stonehenge ao lado de construções como as Pirâmides do Egito e os Moais Rapa-Nui da Ilha de Páscoa. 

Independe dessas teorias, sabe-se que o círculo de pedras está posicionado de forma que o nascer do sol no Solstício de Verão, o dia mais longo do ano, incide com perfeição na abertura de um de seus arcos. Isso nos faz deduzir que Stonehenge era utilizado para fins religiosos e para a marcação de aspectos astrológicos. 

Na verdade, pouco importa os motivos e suposições. Ao chegar e encarar esse imenso círculo de pedras tem-se a exata noção de seu poder ancestral mesmo após tantos anos. Somente por sentar e observá-las, sentindo o vento e tentando imaginar as milhares de pessoas que as ergueram e comungaram em um lugar tão mágico é emocionante. 


Perto de Stonehenge é possível visitar o Old Sarum, que são as ruínas do palácio e da igreja originais que deram surgimento à cidade de Salisbury. 


O jeito mais fácil de chegar em Stonehenge é pela cidade de Salisbury. Há ônibus de Londres, a viagem dura em média 3h30 e custa em torno de £ 12. 

Não posso falar muito sobre hospedagem, já que fiquei na cidade através de Couchsurfing (aliás, minha primeira experiência do tipo, na casa de um casal extremamente acolhedor e simpático). 

Salisbury é uma cidade pequena é provinciana, com um lindo rio a corta-lá e vale muito a pena despender um dia para conhecê-la. 


Tem uma linda e imensa Catedral em estilo gótico datada do ano de 1220 que possui alguns marcos importantes. É dela a mais alta torre da Inglaterra e o mais antigo relógio em funcionamento do mundo. 


É também na Catedral de Salisbury que está a cópia mais bem preservada da Magna Carta, documento assinado em 1215 que limitava os poderes do Rei e é considerada o primeiro marco nas definições de direitos e justiça, lança as primeiras bases para o constitucionalismo e viria a influenciar a política no mundo inteiro.  


Quando estava na cidade pude ver uma exposição temporária da artista plástica Sophie Ryder é isso teve grande impacto para mim. Sua obra são esculturas gigantescas de seres híbridos entre humanos e animais com forte influência pagã. O mais interessante é que as obras estavam circundando todo o parque da Catedral e alguma de suas obras estavam inclusive no interior da Catedral. 


Mesmo em pouco tempo na cidade essa é uma característica de fácil observação: o sagrado e o profano dividem o mesmo espaço e essa ambivalência parece ter-se encravado até nas pedras do calçamento. 

Bus Londres-Salisbury – £ 12 

Bus + Old Sarum + Stonehenge – £ 28

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s